A gripe espanhola em Taquari: reportagens revisitam o fatídico 1918

No segundo dia de pandemia, a cidade já contabilizava cerca de 300 enfermos

“O Taquaryense” iniciou no último sábado, 12, uma série de reportagens sobre a gripe espanhola em Taquari, elaborada a partir de registros feitos pelo próprio jornal em 1918, livros e relatos de historiadores.

Logo que o vírus chegou ao município, em fins de outubro daquele ano, uma extensa lista de contaminados começou a se formar, de modo que já no segundo dia de pandemia, só no perímetro da cidade, contavam-se aproximadamente 300 enfermos. Entre eles, os dois médicos que atendiam a comunidade.

Mais à frente, a situação se agravou, com a ocorrência de muitas mortes, a ponto de se fazer necessária a encomenda de madeiras para a construção de caixões.

Ficou curioso? As reportagens acerca da pandemia que precedeu a atual em pouco mais de um século, considerada a mais devastadora da história, serão publicadas exclusivamente na edição impressa de “O Taquaryense”, recebida pelos assinantes todos os sábados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.