A inocência de um namoro diferente

Juntos há cerca de 30 anos, Maria Alvina e Nelson Luiz residem na Pella Bethânia

Casal se conheceu numa festa de Natal promovida pela instituição e, desde então, mantém relacionamento | Foto: Anna Precht

A menos de uma semana do Dia dos Namorados, “O Taquaryense” foi conhecer uma doce história de amor. Residentes da Associação Beneficente Pella Bethânia, Alvina e Nelson namoram há 29 anos. São quase três décadas de um relacionamento doce, baseado na amizade e no companheirismo.

O casal mais antigo da instituição foi apresentado, à época, pela esposa do pastor Unírio Gabe, em uma festinha de Natal. “O pastor sabia que eu era de respeito e confiança”, gabou-se Nelson. Desde então, os dois tomam chimarrão juntos, andam de mãos dadas e trocam beijos no rosto. Este é o relacionamento de Maria Alvina Werner, 61 anos, e Nelson Luiz Schmaltz, 58, que namoram aos domingos, quartas-feiras e feriados – conforme orientações da instituição.

O dicionário ensina que “namorar” é “inspirar amor a alguém”. E amor os dois têm de sobra. Perguntados sobre o que um admira no outro, ele respondeu que era a beleza, e ela, o carinho. “Eu gosto muito do Nelson, amo ele, ele é carinhoso”, se declara Alvina. Para o Dia dos Namorados, eles ainda planejam como se presentear. Nelson pensou em uma carta. “Mas ela não sabe ler”, hesitou, e emendou: “a cuidadora do lar lê para ela”, sorriu.

Natural de Sério, Alvina não mantém contato com a família, e já residia na Pella quando Nelson chegou. Ele, que nasceu em Três de Maio e se criou em Santa Rosa, está no lar desde 1990 e tem uma família muito presente. O casal vive, hoje, em lares diferentes: ela no Nazaré e ele no Listra. Nelson revela que o namoro dos dois passou por alguns obstáculos. “Tentaram nos separar três vezes, mas o amor é tão forte que não deu certo. Estamos juntos”, completou.

Encontros quinzenais

A psicóloga da Pella Bethânia, Cíntia Porto, conta que no local há um Grupo dos Namorados que, em encontros quinzenais de aproximadamente uma hora, reúne os casais da instituição para uma troca de ideias. Durante as reuniões, são dadas orientações aos namorados. “É uma roda de conversa. Quando necessário, fazemos terapia de casal”, explica a psicóloga. De acordo com ela, essas relações são muito positivas e importantes para a autoestima dos residentes. “Para a convivência, troca de carinho – no sentido de convívio –, e motivação, com ajuda mútua entre as partes.”

Integração e bem-estar pessoal

A diretora da Pella Bethânia, a pastora Ana Paula Genehr, comenta que os casais da instituição recebem acompanhamento psicológico e pastoral. “Aqui, a vida deles continua. As atividades pastorais proporcionam a vivência da espiritualidade para os residentes”. Todos participam de momentos de meditação nas casas, cultos, contam com aconselhamento pastoral, entre outras atividades, visando à integração deles e ao bem-estar pessoal. “Nós acreditamos que a espiritualidade é uma das dimensões do ser humano, para que ele tenha uma vida boa e de qualidade. É importante que eles saibam que podemos contar com Deus em todos os momentos, sejam eles bons ou mais difíceis”, afirma Ana Paula, ressaltando que pregam respeito às diferentes religiões e confessionalidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.